Radio Pirata 1986


Logo depois dos primeiros shows de divulgação, o RPM fecha contrato com o megaempresário Manoel Poladian, que procurava uma banda do então em ascensão rock brasileiro para o seu elenco de artistas platinados de MPB. Os
costumeiros palcos das danceterias são trocados por uma megaprodução, com direito a Ney Matogrosso assinando luz e direção, canhões de raio laser e multidões espremidas em ginásios e estádios. À esta altura, Paulo Ricardo já é sex-symbol: estampa diversas capas de revistas (sobre música e semanários), enlouqece garotas histéricas, passa a cantar somente com os ombros de fora e ainda aparece dando selinho em Caetano Veloso em programa na Rede Globo. O sucesso é tanto que o RPM emplaca rapidamente uma seqüência de hits no rádio (oito entre as onze faixas do álbum) e chega à marca de cem mil LPs vendidos (disco de ouro)





Sem “futuros hits” na manga e para manter a banda em alta, Poladian, músicos e gravadora aproveitavam as gravações “piratas” dos shows que pipocam nas FMs de todo o país e lançam em julho de 1986, um novo álbum, com parte do registro de dois shows da histórica turnê. O repertório de Rádio Pirata Ao Vivo traz quatro gravações inéditas (sendo duas covers) e cinco faixas de Revoluções Por Minuto Com a ajuda dos preços congelados do Plano Cruzado, 500 mil cópias são vendidas antecipadamente. As vendas de Rádio Pirata Ao Vivo disparam e chegam a 2,2 milhões de exemplares. O RPM transforma-se no
maior vendedor da indústria fonográfica nacional até então





Letras


REVOLUÇÕES POR MINUTO
(Paulo Ricardo / Luiz Schiavon)
Sinais de vida no país vizinho
Eu já não ando mais sozinho
Toca o telefone chega um telegrama enfim 
Ouvimos qualquer coisa de Brasília
Rumores falam em guerrilha
Foto no jornal, cadeia nacional
Viola o canto ingênuo do caboclo
Caiu o santo do pau oco
Foge pro riacho, foge que eu te acho sim
Fulano se atirou da ponte aérea 
Não agüentou fila de espera
Apertar os cintos, preparar pra descolar
Nos chegam gritos da ilha do Norte
Ensaios pra dança da morte
Tem disco pirata, tem video cassete até
Agora a China bebe coca-cola 
Aqui na esquina cheiram cola
Biodegradante, aromatizante, tem

ALVORADA VORAZ
( Luiz Schiavon / Paulo Ricardo / Paulo (P.A.) Pagni)

Na virada do século
Alvorada voraz
Nos aguardam exércitos 
Que nos guardam da paz (que paz?)
A face do mal, um grito de horror
Um fato normal, um êxtase de dor
E medo de tudo
Medo do nada
Medo da vida
Assim, engatilhada
Fardas e força
Forjam as armações 
Farsas e jogos
Armas de fogo
Um corte exposto
Em seu rosto, amor, e eu
Nesse mundo assim
Vendo esse filme passar
Assistindo ao fim
Vendo o meu tempo passar
Apocalipticamente
Como num clip de ação 
Um clic seco, um revólver
Aponta em meu coração
O caso Morel
O crime da mala
Coroa Brastel
O escandalo das joias
E um contrabando,
E um bando de gente importante envolvida
E juram que não
Corrompem ninguém
Agem assim
Pro seu próprio bem
São tão legais
Foras-da-lei
Pensam que sabem de tudo
O que eu não sei, eu sei!

A CRUZ E A ESPADA
(Paulo Ricardo / Luiz Schiavon) 

Havia um tempo em que eu vivia
Um sentimento quase infantil
Havia o medo e a timidez
Todo um lado que você nunca viu 
E agora eu vejo aquele beijo
Era mesmo o fim
Era o começo
E o meu desejo
Se perdeu de mim
E agora ando correndo tanto
Procurando aquele novo lugar
Aquela festa, o que me resta
Encontrar alguém legal prá ficar 
E agora eu vejo aquele beijo
Era mesmo o fim
Era o começo
E o meu desejo
Se perdeu de mim
E agora é tarde, acordo tarde
Do meu lado alguém que eu não conhecia
Outra criança adulterada
Pelos anos que a pintura escondia 
E agora eu vejo aquele beijo
Era mesmo o fim
Era o começo
E o meu desejo
Se perdeu de mim
E nunca mais, nunca mais

Naja(Paulo Ricardo/Luiz Schiavon)

OLHAR 43
(Paulo Ricardo / Luiz Schiavon)

Seu corpo é fruto proibido, é a chave de todo o pecado e dá libido
E prum garoto introvertido, como eu, é a pura perdição 
É um lago negro, o seu olhar, é água turva de beber, se envenenar
Nas suas curvas derrapar, sair da estrada, morrer no mar (no mar)
É perigoso o seu sorriso, é um sorriso assim jocoso, impreciso
Diria misterioso, indecifrável, riso de mulher 
Não sei se é caça ou caçadora, se é Diana ou Afrodite, ou se é Brigite
Stephanie de Mônaco aqui estou inteiro ao seu dispor (princesa)
Pobre de mim, invento rimas assim prá você
E um outro vem em cima e você nem prá me escutar 
Pois acabou não vou rimar porra nenhuma, agora vai, como sair
Que eu já não quero nem saber se vai caber, ou vão me censurar (será?)
E prá você eu deixo apenas, o meu olhar 43, aquele assim
Meio de lado, já saindo, indo embora, louco por vocês (gracinhas) 
Que desperdício!
Tesão!

Estação no Inferno  ****
(Paulo Ricardo/Luiz Schiavon)

Luz de velas nos castiçais
iluminam tempos atrás
O passado é uma ilusão
Seu retrato acusação
Outro inverno gela em meu coração
Neste inferno é sempre a mesma estação
Outro inverno gela em meu coração
Neste inferno é sempre a mesma estação
Vento frio vem me chamar
Me arrepio só de pensar
Num futuro escuro e só
Inseguro voltando ao pó
No silêncio escuto a voz
São demônios ou somos nós
Sem juízo , sem salvação
Exorcizo sua aparição

LONDON, LONDON
(Caetano Veloso)

I'm wandering round and round, nowhere to go
I'm lonely in London London, is lovely so 
I cross the streets without fear
Everbody keeps the way clear
I know I know no one here to say hello
I know they keep the way clear
I'm lonely in London without fear
I'm wandering round and round here 
Nowhere to go
While my eyes
Go looking for flying sources in the sky
But my eyes
Go looking for flying sources in the sky
Oh Sunday Monday, autumn pass by me
And people hurry on so peacefully
A group aproaches the policemen
And he seems so pleased to please them
It's good to live at least, and I agree
He seems so pleased at least
And it's so good to live in peace
And Sunday, Monday, years, and I agree 
While my eyes
Go looking for flying sources in the sky
But my eyes
Go looking for flying sources in the sky
I choose no face to look at, choose no way
I just happen to be here and it's ok
Green grass, blue eyes, grey sky 
God bless
Silent pain and hapiness
I came around to say yes, and I say
While my eyes
Go looking for flying sources in the sky
But my eyes
Go looking for flying sources in the sky

Flores Astrais

Um grito de estrela
Vem do infinito
E um bando de luz
Repete o grito
Todas as cores e outra mais
Procriam flores Astrais
O verme passeia na lua cheia
O verme passeia na lua cheia
O verme passeia na lua cheia
O verme passeia na lua cheia


RÁDIO PIRATA
(Luiz Schiavon / Paulo Ricardo)

Abordar navios mercantes
Invadir, pilhar, tomar o que é nosso
Pirataria nas ondas do rádio
Havia alguma coisa errada com o rei
Preparar a nossa invasão
E fazer justiça com as próprias mãos 
Dinamitar um paiol de bobagens e navegar o mar da tranquilidade
Toquem o meu coração, façam a revolução
Está no ar nas ondas do rádio
No submundo repousa o repúdio
E deve despertar
Disputar em cada frequência 
Um espaço nosso nessa decadência
Canções de guerra, quem sabe canções do mar
Canções de amor ao que vai vingar
Toquem o meu coração, façam a revolução
Está no ar nas ondas do rádio
No underground repousa o repúdio e deve despertar oh 
Radio Pirata 1986 Radio Pirata 1986 Reviewed by RPM banda on 5:28 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Post AD